Nós

CUMARU é um espaço para vivências e mostras voltadas para a sensibilização e criação de novos pontos de contato das mensagens, pesquisas, ações e conteúdos de arte contemporânea. O intuito é ampliar a cena de arte em Brasília e seus movimentos inter-relacionados em música, design, gastronomia, cinema, moda, entre outros, abrindo a possibilidade de um diálogo transregional, transcultural e transdisciplinar. O projeto investiga artistas que estejam inseridos num contexto de cidades em transformação, em momentos disruptivos e de grande questionamento cultural, onde a arte se apresenta como campo vivo para germinar novos olhares. No decorrer da programação planejada pela Galeria, serão geradas exposições e residências nacionais e internacionais, eventos, mostras itinerantes, palestras, cursos, oficinas e encontros. O Fortalecimento das relações profissionais e comerciais entre os agentes da cena brasiliense com outros estados e países, é uma das bases desta nova Casa, ponto de encontro para apreciadores, artistas, arquitetos, curadores, escritores, professores, pesquisadores, que mutuamente irão colaborar com o conteúdo. Como primeira atividade a galeria promove uma mostra de artistas contemporâneos brasileiros, intitulada POUSO ALTO, e convida o público ao encontro doméstico e afetivo com questões que atravessam utopias, escapismos e devaneios que envolvem o Planalto Central e suas nuances,  incentivando a troca natural de saberes.  Juliana Freire

Diego Cattani é de 82, atualmente vive e trabalha entre Milão, São Paulo e Londres. Estudou Design de Moda na Fasm em São Paulo e Joalheria em Londres. Desenhou coleções de acessórios e jóias para marcas de moda celebradas do eixo Rio-SP. Sempre inserido no contexto de design, moda, arte, arquitetura e cinema, tem nas artes plásticas referencia central em suas pesquisas. Um olhar afinado durante 15 anos de imersão cultural em museus, galerias de arte, festas, cidades, entornos criativos, grupos artísticos e estilísticos. A Galeria Cumaru é seu primeiro projeto dentro do contexto direto das artes plásticas. Sua relação com Brasília é de puro deslumbre. Questões estéticas ali debatidas, esmiuçadas e elevadas a status maiores por ícones da arquitetura mundial fizeram dessa cidade um ponto de convergência de idéias utópicas e de um purismo belíssimo. Artistas e curadores que refletem sobre questões transdisciplinares, frescas, elevadas são sempre observados por Diego.

COLABORADORES

Juliana Freire é artista, graduada pela Universidade Federal de Minas Gerais. Criou com Flaviana Bernardo e dirigiu durante 11 anos a Galeria Emma Thomas, uma das pioneiras no processo de democratizar o acesso ao conteúdo e consumo de arte contemporânea, produzindo mais de 100 mostras, eventos, intercâmbios, feiras e lançando mais de 300 novos artistas no mercado brasileiro e latino americano. Intensificou suas ações na amplificação de um diálogo entre a cena de arte jovem brasileira e internacional entre 2016 e 2017, produzindo 6 exposições de artistas contemporâneos e do mestre Samico em seu espaço expositivo em Nova Iorque. Participou de diversas feiras internacionais na America Latina, Estados Unidos e Europa, promovendo a cultura brasileira em mais de 10 países. Prestou uma consultoria valiosa de gestão, logística e curadoria para a Galeria Cumaru e seus idealizadores.